Família Montalvao

Família Montalvao

sábado, abril 08, 2017

O hospital de Jeremoabo tem obrigação de atender todo mundo.



Guilherme enfermeiro é portador de diploma universitário em enfermagem, trabalha em regime de Plantão em um dos melhores hospitais da capital pernambucana, a NEURO CLÍNICA DA RESTAURAÇÃO, O MAIOR HOSPITAL DE EMERGÊNCIA DO NORTE E NORDESTE, UMA DAS REFERENCIAS NACIONAIS EM NEUROCIRURGIA E NEURO CLINICA.  É concursando pelo Governo do Estado de Pernambuco, exerce sua função na unidade neurológica com pacientes vítimas  de AVC,  portanto sabe muito bem como funciona um hospital é quais os direitos dos cidadãos.
Ainda a respeito de Guilherme Enfermeiro, foi ele quem denunciou ao TCU as falcatruas existentes no Hospital Geral de Jeremoabo.

É respaldado na sua experiência, também como CONSELHEIRO DO COREN/BA,  observando o sofrimento,  a humilhação  e a perversidade a que está submetida a população carente de Jeremoabo por falta de uma assistência médica  mais humana, vem orientar a todos os necessitados de um atendimento médico,  que " o  direito à saúde está explicitado na Constituição Federal de 1988 que define a Saúde como direito de todos e dever do Estado, indicando os princípios e diretrizes legais do Sistema Único de Saúde (SUS). A Lei nº 8.080 de 19 de Setembro de 1990, dispõe sobre as características para a promoção, assistência e recuperação da saúde, a coordenação e o funcionamento dos serviços correspondentes e das outras providências, além disso a lei LEI N. 8.142, de 28 de dezembro de 1990 dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde. Estas leis, reafirmam a saúde como um direito universal e fundamental do ser humano
Também, a constituição Federal no Art. 196, expõe que às ações e meios que asseguram que o direito a saúde sejam eficazes deve ser garantido através de políticas publicas. "A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.” 

Informa ainda que todos que forem ao hospital tem quer ser atendido pelo médico e jamais poderá ser encaminhado ao posto medico de saúde, seja lá por qual  for  a motivação de procurar o hospital.

Finalmente, entende-se que ter cidadania é nunca permitir que o dado seja aceito sem a necessária reflexão, sem consciência crítica. Ser cidadão é nunca se permitir ser objeto, mas sim, construtor de seu próprio ser, de sua própria identidade, do seu próprio mundo.