Família Montalvao

Família Montalvao

quarta-feira, março 15, 2017

Lula bateu na mesa e disse:
"Estou cansado de ouvir procurador falando que não tem prova. Só tem convicção. Eu estou cansado."...

Ele sabe que, daqui a alguns dias, serão divulgados os depoimentos da Odebrecht sobre a conta corrente da propina em nome de Lula.
OANTAGONISTA.COM

Diário do Brasil compartilhou um link.
8 h

Vamos supor que Lula esteja certo com relação às acusações que tem sofrido (Patrícia Carvalho - Brasília) Vamos imaginar que ... o ex-presidente está sendo…
DIARIODOBRASIL.ORG
Encontro está marcado para às 10h desta quarta-feira, no Palácio do Planalto

Um dia após o procurador-geral da República Rodrigo Janot pedir ao STF a abertura de 83 inquéritos contra políticos citados em delações da Odebrecht,…
WWW.NOTICIASBRASILONLINE.COM.BR
#SanatórioGeral “Morei lá e nunca teve nada disso não. Nunca vi fantasma nenhum. Aliás, o meu neto ficou lá dos seis meses aos seis anos e também nunca caiu”. (Dilma Rousseff)

Dilma confirma que não teve rivais na missão de assustar quem aparece na residência presidencial
VEJA.ABRIL.COM.BR
Lista Janot atinge em cheio Lula e Dilma Rousseff

Os depoimentos da Odebrecht sobre os 300 milhões de reais depositados na conta corrente da propina do PT serão enviados a Curitiba, assim como os detalhes dos pagamentos do terreno do Instituto Lula e da reforma do sítio em Atibaia.
OANTAGONISTA.COM

Ao depor como réu, Lula se comparou a Deus
Em seu primeiro depoimento como réu em processo da Lava Jato, Lula se colocou no lugar de Deus. Disse ao juiz Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara Federal de Brasília, que o primeiro-amigo José Carlos Bumlai não estava autorizado a discutir negócios. O magistrado perguntou se Bumlai poderia ter usado o nome de Lula. E o interrogado: “Doutor, se o senhor soubesse quanta gente usa o meu nome em vão! De vez em quando eu fico pensando pras pessoas (sic) lerem a Bíblia, pra não usar tanto o meu nome em vão.” http://uol.com/bgj8cf
NE10
12 h
Já apareceram na lista os ministros Eliseu Padilha (PMDB), Moreira Franco (PMDB),Gilberto Kassab (PSD),Bruno Araújo (PSDB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB). Além dos ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva e os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega