Família Montalvao

Família Montalvao

sábado, junho 20, 2009

Cigano mata empresário em Alagoinhas

Mariacelia Vieira
Continua foragido o cigano que matou na última quinta-feira o comerciante Luiz Carlos Gomes Farias Filho, proprietário da loja Tenda do Som, em Alagoinhas. A identificação não foi permitida porque o ator dos disparos que acertou a vítima é um jovem de 17 anos, que estaria de posse de um carro e de uma arma. De acordo com a delegada plantonista Quitéria Maria Siqueira Neta, a motivação do crime foi a instalação de um som que o jovem não teria gostado do serviço final. Depois de uma rápida discussão na frente da esposa da vítima, grávida de oito meses, e de uma outra testemunha, o adolescente sacou a arma que carregava e atirou no rosto do comerciante.
Luiz Carlos Gomes Farias Filho iniciava mais um dia de trabalho ao lado da esposa, quando, por volta das 10 horas, entregou o som instalado no carro do adolescente. O sepultamento aconteceu ontem no cemitério da cidade. Somente na próxima semana os familiares serão ouvidos pela delegada. "A esposa gestante não tinha qualquer condição psicológica de ser ouvida, tão pouco a outra testemunha. Tentaremos ouvi-los a partir de segunda-feira", disse a policial adiantando que teve apenas um contato visual como o pai de Luiz Carlos, que se encontrava em estado de choque.
O comerciante era uma pessoa muito querida na cidade. Filho do empresário Luiz Carlos Gomes Farias, que atua no ramo de acessórios para montaria, o jovem aparentemente não tinha desafetos na cidade e nem era agressivo, conforme relato de Quitéria Neta.
No assentamento dos ciganos onde morava o adolescente e seus familiares, ninguém foi encontrado. Diligências com policiais civis e militares não tiveram sucesso. Há dois meses como delegada plantonista naquele município, Quitéria espera na próxima semana fazer um levantamento sobre a situação dos ciganos na cidade na tentativa de localizar o criminoso.
Este é o terceiro caso crime do ano em que os acusados são ciganos. Há dois meses, outro crime chocou a cidade de Camaçari. O engenheiro da empresa Ford foi assassinato por um cigano, identificado como Ramon Alves da paixão, de 21 anos, que continua foragido. Conforme apuração da polícia o rapaz teria se envolvido numa discussão de trânsito com o engenheiro, nas imediações do posto Texaco, localizado em frente ao Hospital Menandro de Farias, no dia 22 de abril.
Já no dia 29 do mesmo mês, o pintor José da Paixão dos Santos foi assassinado em Candeias. Os suspeitos, pai e filho, prestaram depoimento na 20ª delegacia na noite de 7 de maio. Segundo o delegado titular, Osman Lordello, o cigano Pedro Cerqueira confessou que praticou o crime. Pai e filho, Amarante Cerqueira, são acusados de matar com quatro tiros e alguns golpes de faca o pintor, após uma briga pelo fato de o filho da vítima passar sempre em alta velocidade pela frente da casa dos ciganos. Após o crime, a população destruiu o local onde residiam famílias ciganas, queimando casas.
Fonte: Tribuna da Bahia