Família Montalvao

Família Montalvao

sexta-feira, julho 07, 2017

O festival de diárias da prefeitura de Jeremoabo é imoral, ilegal e dolosa

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Vejo acima um levantamento de diárias efetuadas pelo cidadão Guilherme concernentes a prefeitos e um secretário.
Essas diárias para a dificuldade financeira que o "interino" alega o município está enfrentando no mínimo alego imoral, todavia cabe aos vereadores da oposição, já que os da situação são iguais a linha imaginária, auditarem, para saber onde e como foram gastas, inclusive mostrando qual o beneficio que trouxera para Jeremoabo.

A primeira vista e a grosso modo só posso dizer que essas diárias são imorais, só após o pronunciamento dos vereadores da oposição, é que poderemos fazer um juízo, concreto amparado na legalidade.

Dito isso vamos viajar para um subterrâneo, coberto de lama, com muita podridão, verdadeiro tapa da cara de todos os cidadãos de bem de Jeremoabo, que vivem de um trabalho digno e honesto, principalmente os garis da prefeitura e a maioria dos funcionários com baixo salários com aumentos aquém da realidade.
Esta foto abaixo, é a prova do ato criminoso, verdadeiro assalto ao dinheiro público municipal, oriundo dos impostos que o trabalhador paga através de muito sacrifício, muito trabalho com sangue e suor, muita das vezes tirado da boca dos seus familiares, para cumprir seu dever de cidadão.
Muito dos senhores vem sofrendo, fazendo o possível e o impossível para que seus filhos tenham direito a uma educação condigna, e que para isso são obrigados a mendigar, humilhar-se  em busca de um direito negado pela prefeitura, que é frequentar um curso universitário, já que o município vergonhosamente não possui, são obrigados a apelarem que pelo mínimo o governo forneça transporte para os universitários deslocarem-se para outra cidade circunvizinha.
Nem esse benefício que é de direito conseguem por completo, após anos de lutas e mendigagens conseguiram por metade, se não já cortaram, alegando falta de recursos.
No entanto, de forma ilegal, imoral e dolosa uma hoje ex-secretária de administração de nome Michely juntamente com um seu colega um tal de Alexandre hoje sub-procurador da prefeitura, em conluio com uma ex-prefeita RÉ, usaram recurso do município para frequentarem um curso pós-graduação, não satisfeitos com essa estrepolia, ainda foram beneficiados com diários de R$ 1.000,00 (hum mil reais).
Aí eu pergunto que país é este, onde uns são beneficiados de milhares do dinheiro público, dinheiro do povo, e ainda vão a programa de rádio querer desmoralizar a oposição por no cumprimento da sua missão, mostrar a população todas essas maracutaias com o erário público ?
Enquanto isso, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) #Edson Fachin, novo relator da Operação Lava Jato, negou, nesta terça-feira (7) um habeas corpus para uma mulher presa em flagrante em 2011 por ter furtado chiclete e desodorante de um supermercado em #Varginha (MG). O furto foi de dois desodorantes e cinco frascos de chicletes, cujo valor não chega a R$ 50. 

Nenhum texto alternativo automático disponível.