Família Montalvao

Família Montalvao

quinta-feira, maio 25, 2017

Com líderes dessa baixa qualidade, pobre povo de Jeremoabo!!!

Eleicao

Resultado de imagem para foto setas indicativas

https://www.dropbox.com/s/udrgh7domcnm4r1/Novo%20Documento%202017-05-02%2013.57.16_20170504145714567%20%281%29.pdf?dl=0
Resultado de imagem para foto setas indicativas

Considerando que a representação do Ministério  Público Federal é longa, 40 páginas, resolvi publicar 06 páginas e indicar o LINK acima, para a leitura completa da representação do Ministério Público Federal, para  quem se interessar em tomar conhecimento pela suposta apropriação indébita do dinheiro público, dinheiro que vem fazendo falta para uma boa saúde da população mais carente de Jeremoabo.
Os artistas que cometeram essa obra maléfica contra o povo, são os falsos líderes, que esse mesmo povo, sacrificado, humilhado e roubado, tanto aplaude movido pelo fanatismo doentio.

Chamo atenção também, que embora a ONG- Transparência Jeremoabo trabalhe sem propaganda, foi uma das partes que entrou com denúncia perante o Ministério Público, como está também citada acima.
Quando deparo-me com barbaridade, covardia, malversação com o dinheiro público com tamanha desonestidade, lembro-me logo de certo artigo que li, intitulado: " O político corrupto e o ladrão"  (Jota Neves).

Eu sempre quis saber juridicamente qual a diferença do roubo para o desvio de dinheiro público praticado pelo político corrupto. A diferença é que os políticos nós escolhemos, já os ladrões nos escolhem. E, assim, como o criminoso comum volta ao local do delito, o político também retorna mesmo após quatro anos.

Para praticar o roubo o ladrão faz uso de força física ou de uma arma. O político usa como “arma” a força do poder. A arma do bandido mata. A corrupção provoca miséria, estimula a violência e a injustiça social.
Quando o político desvia dinheiro público, desaparelha a saúde, educação, social, segurança pública e faz aumentar a sensação de impunidade e o índice de violência. Deixa a saúde fragilizada, a criança sem educação e a merenda, o idoso sem o remédio, entre outras situações.
Do ponto de vista do crime não há diferença entre o político corrupto e o ladrão. Sabemos quem é o ladrão quando entra de forma truculenta em nossa casa, comércio ou nos ataca em praça pública. Já o mau político usa de artifício que nos ilude sobre suas verdadeiras intenções e age sorrateiramente nos porões, na calada da noite ou até mesmo quando é visto em restaurantes famosos ou em viagens nababescas com suas mulheres e amantes.
O ladrão rouba por um “desvio de caminho” e o político encontra no aparato do estado, o caminho para a apropriação indébita e do peculato! Não existe diferença entre um político que faz carrear para o seu bolso o dinheiro que deveria ser usado na rala merenda de crianças que estão na escola e de uma quadrilha que cava um túnel para surrupiar R$ 150 milhões dos cofres do Banco Central de Fortaleza (CE).
Traçando um paralelo, a diferença é que o bandido é marginalizado e o mau político e influente goza de prestígio e de foro privilegiado. Enquanto não é investigado pelo estado de direito ele se sente no direito de ser o próprio “estado” e usa essa “ferramenta” para promover o ato de vilipendiar os cofres do Município, do Estado e da União.
É um bandido institucionalizado e despreocupado com a promoção do bem estar de uma nação. Ele não sente nenhuma culpa. É um psicopata. Os piores dos marginais que infestam a sociedade.
Senão vejamos: qual a diferença do ladrão que rouba um carregamento de remédios e de um político que desvia recursos da saúde que poderiam ser usados para construir um novo hospital?
Qual a diferença de um bandido que furta a dispensa de uma escola e de um político que superfatura a licitação da merenda em troca de propina?
Qual a diferença de um vândalo que depreda o patrimônio público e, de um político que faz, mas rouba? Um furta as luminárias da praça e o outro a embeleza para desviar milhares de recursos para o caixa 2 de sua próxima campanha?
Como explicar a melhora no patrimônio de um desocupado que de repente surge de carro novo e de um “ocupado” político que necessitaria trabalhar dezenas de anos para acumular a fortuna que repentinamente começa ostentar?

Pois é, não vejo diferença nenhuma do roubo para o desvio praticado pelo político corrupto. O ladrão e o político corrupto são sinônimos de roubos e desvios. Portanto, nas próximas eleições municipais vote certo. Impeça que um sujeito com desvio de conduta se transforme num político ladrão. Aproveite esta oportunidade e surpreenda, antes que você seja a próxima vitima.
Acredito que através  dessa matéria, o povo é quem irá escolher um governante probo, ou se irá continuar sendo governado por improbo.