Família Montalvao

Família Montalvao

domingo, abril 30, 2017

Ambiente “radicalizado” pode adiar votação de abuso de autoridade e fim do foro na Câmara

Presidente da Câmara
Rodrigo Maia vai definir tramitação dos projetos junto aos líderes partidários na próxima semana
CONTINUE LENDO...

OUTROS DESTAQUES

Na última sexta-feira, milhares de pessoas foram às ruas para protestar contra as reformas trabalhista e da Previdência

Para garantir votos na reforma da Previdência, governo prepara MPs que agradam base aliada

Ideia é conseguir agradar os parlamentares para que os 308 votos necessários para validar a PEC sejam conquistados no plenário da Câmara
No metrô, apresentações acontecem desde a última quinta-feira

Em Brasília, Dia Internacional da Dança é comemorado com programação gratuita

Quarta edição do Marco Zero traz performances artísticas relacionadas à arquitetura de Brasília e propõe reflexões sociológicas sobre o espaço urbano e sua ocupação pelo povo, os limiares entre o corpo individual e o social, Lei do Silêncio e representatividade LGBTI
greve-operaria-i-republica-1024x733

Greve geral no Brasil: paralisação de 1917 deixou legado, mas país evoluiu pouco, dizem historiadores

“Jornada máxima de oito horas diárias”, “garantia de emprego”, “aumento de salários”… Essas foram três das reivindicações dos trabalhadores durante a primeira greve geral da história do Brasil, em um movimento iniciado na cidade de São Paulo, entre 7 a 13 de julho de 1917. Cem anos depois, as reivindicações daquele período histórico ainda ecoam e formam o legado de lutas dos brasileiros que decidiram fazer greve no dia 28 de abril deste ano
No Rio, manifestantes que protestavam na Cinelândia entraram em confronto com a Polícia Militar

Manifestações terminam com confrontos em São Paulo e no Rio de Janeiro

Em diversas cidades, na maioria capitais, rodoviários, metroviários, professores e trabalhadores do comércio aderiram à paralisação convocada pelas centrais sindicais em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência

Rodrigo Maia. André Dusek/Estadão