Família Montalvao

Família Montalvao

quinta-feira, março 16, 2017

A administração municipal de Jeremoabo é uma piada

Para contornar a crise política, financeira e buscar soluções viáveis para enfrentar a seca em nosso município o correto é a redução dos cargos comissionados. Diferentemente do que aconteceu em JEREMOABO, onde chegou na Câmara de Vereadores um PROJETO DE LEI com a criação de mais um cargo comissionado.
Observem as imagens:

Nota da redação deste Blog - Cada gestor que entra na prefeitura Municipal de Jeremoabo é pior do que o anterior.
Já estão tão acostumados a fazer o povo de palhaço, que o anormal já tornou-se normal.
O pior de tudo é que em Jeremoabo um prefeito tem mais autoridade do que qualquer outra autoridade do país.
Desde 2010  firmaram o tal Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado na Promotoria Pública, onde o gestor se compromete a demitir todos os contratados e realizar concurso público, bem como para atender a faixa limite com pagamento de pessoal em função da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Esse termo de Ajustamento o prefeito faz de conta que cumpre, porém não passa de uma assinatura no papel.
A Lei de Responsabilidade Fiscal também em Jeremoabo é letra morta.

Quanto ao TCM-Ba o prefeito também faz de conta que acredita existir, porém, não cumpre as determinações daquele órgão.

A Câmara de vereadores não está nem ai, "quem pariu mateus que balance", o exemplo está aí, criaram mais Cargo Comissionado, na cidade que decreta todo ano estado de Emergência, estado de calamidade.

O nepotismo joga solto, ninguém toma uma providência.

Observem os  senhores que essa denúncia é de um vereador.
O povo perdeu a esperança em tudo,  nada reclama, deram-se por vencido, o fanatismo sugou toda a força para protestar, não existe mais reação.

Quando deparo-me diante de tamanha barbaridade como a que vem acontecendo em Jeremoabo, lembro-me logo de um artigo de  Ricardo Kertzman & Amigos, intitulado:  " 

O fim da esperança e a vitória dos maus.

"A terra dos incautos, o país da corrupção generalizada sairá menor outra vez. A praga da imoralidade está impregnada no DNA da absoluta maioria dos brasileiros. Nossa gente ou pratica ou aceita a criminalidade, como quem se conforma com o “seja o que Deus quiser”. Se na Roma antiga bastavam o pão e o circo, no Brasil de hoje sequer o básico é necessário. Por maior que sejam a privação, humilhação, dor, indignação ou revolta, o brasileiro se adapta e segue seu triste rumo, sua triste sina.
Riam, hienas! Zurrem, quadrúpedes! A vitória é toda de vocês. Fiquem com as batatas!
Joguei a toalha! É rir pra não chorar… "
http://blogs.uai.com.br/opiniaosemmedo/2017/03/11/espranca/