Família Montalvao

Família Montalvao

domingo, janeiro 29, 2017

A piada do ano, prefeito interino irá fazer na saúde o que seus antecessores não conseguiram fazer.

Prefeito interino de Jeremoabo promete priorizar a área da saúde do município

Por: Assessoria de gabinete
Divulgação
             Prefeito Antonio Chaves
Prefeito Antonio Chaves
O prefeito Antonio Chaves (PSD) garantiu esta semana que irá priorizar os problemas envolvendo a saúde. “A saúde é prioridade do município, é o que a gente vai ter que fazer. O secretário da Saúde, Alexei Vinícius está fazendo levantamentos e já detectamos alguns problemas que serão solucionados num curto espaço de tempo. Estamos dando continuidade ao cotidiano da cidade. Espero conseguir melhorar muito o sistema de saúde do município, garantiu.
Antonio Chaves precisou assumir interinamente o cargo de prefeito da cidade enquanto que a candidata mais bem votada do Executivo na última eleição, Anabel de Tista (PSD), aguarda o resultado do julgamento de um processo na Justiça. Se a prefeita eleita não conseguir reverter a situação, os eleitores de Jeremoabo terão que voltar às urnas. Enquanto o resultado do julgamento de Anabel não sai, Antonio Chaves reeleito vereador para o quinto mandato consecutivo, fica no cargo.
Chaves afirma que não vai ficar o tempo todo sentado na cadeira do prefeito esperando a população vir, vamos sair para buscar a solução dos problemas. Não me importa sala, cadeira, isso é da prefeitura, e não do prefeito", esclarece.
Por fim, ele ainda garantiu que o gabinete está aberto para a população. “Desde o dia 1º de janeiro, quando fui eleito presidente e automaticamente assumi o executivo, eu estou à disposição. Meu gabinete está aberto para todas as reivindicações. O que tiver ao meu alcance, no imediato vamos resolver. O que não tiver, nós vamos destinar a secretaria competente e mandar fazer, o que tiver que fazer”.

Nota da redação deste Blog  -  Inicio fazendo a seguinte pergunta: porque o atual prefeito interino como presidente da Câmara de vereadores de Jeremoabo com a experiência de 05 mandatos, permitiu que dessem um rombo de quase vinte milhões nos cofres do Hospital Municipal de Jeremoabo e nunca denunciou, permaneceu omisso e conivente durante todo esse período?
Qual será a mágica que o prefeito interino de três ou quatro meses, irá fazer para concertar o Hospital Municipal de Jeremoabo quado os prefeitos apoiados por ele, "tista de deda", Pedrinho e Anabel, só fizeram piorar o atendimento médico hospitalar em Jeremoabo?
Será que o "tista de deda" Pedrinho e  Anabel eram incompetentes ou irresponsáveis?
Com essas perguntas já me dou por satisfeito.






Governo do Estado tenta jogar culpa do caos na saúde nos municípios
Foto: Reprodução / Bahia Press
Salvador teve o maior crescimento da Atenção Básica do país, defende a prefeitura de Salvador. Para a equipe do prefeito ACM Neto (DEM), o vereador Trindade (PSL) confunde o Programa de Saúde da Família com o de Atenção Básica tradicional, e tenta camuflar o fechamento de unidades estaduais de emergência na capital. A acusação é em resposta aos comentários divulgados pelo edil mais cedo, neste domingo (29). Trindade, que é líder da oposição na Câmara de Vereadores, afirmou que Neto não tem “qualquer preocupação com os que mais precisam” (veja aqui). Para rebater as afirmações, a prefeitura usou dados do Ministério da Saúde para destacar que Salvador teve um incremento de 143% do serviço básico, que hoje beneficia mais de 45% da população. Em 2012, apenas 18% dos soteropolitanos tinham acesso a esses atendimentos. A gestão municipal ressalta que isso demonstra a prioridade que é dada à área da saúde que, com reconhecimento nacional – a exceção do vereador – investe quase 20% do orçamento na área. De acordo com a prefeitura, mesmo o Governo Estadual ficando com 90% do dinheiro dos municípios para a Rede de Urgências, ele tem a pior execução orçamentária de recursos federais do país e tenta apontar as prefeituras como responsáveis pelo caos instalado de fechamentos de UPAs, ambulatórios e hospitais, além da deficiência para contratação de profissionais especializados nas maternidades resultando na suspensão de partos. “Faria melhor o vereador se tentasse influenciar junto aos seus aliados que fosse realizado o pagamento das Organizações Médicas, todas com faturas atrasadas e abandonando os plantões, deixando a população sem assistência”, ataca a prefeitura.