Família Montalvao

Família Montalvao

terça-feira, setembro 13, 2016

Deri se você estivesse fraco ou derrotado ninguém te convidaria para debate.




Esse desespero para que  DERI se submeta a debate em rádio  é reflexo da sua força junto ao eleitorado de Jeremoabo.
Seria muita infantilidade ir debater com uma pseudo candidata, uma suposta candidata que  nem identidade possui(registro).
"Não caia no canto da sereia, indo debater com candidata fantasma, franca atiradora, todo esse desespero e essa insistência, é porque já estão sentindo na pele que o eleitor de Jeremoabo, eleitor ansioso por mudanças, estão levando em consideração valores como honestidade, seriedade, simplicidade, competência, identificação com o novo contra o arcaico, o entendimento dos problemas da cidade, arrogância, simpatia e cordialidade.
O voto que você irá e já esta recebendo significa protesto, uma espécie de castigo ao atual (des)governo, identificado com o atraso, com ultrapassados costumes.
O lado da candidata sem registro tenta a todo custo te expor na mídia para tentar ter audiência.
Proposta séria e factível transmitida por candidato desacreditado não colará. Cairá no vazio. A desconfiança anula a seriedade da mensagem . O eleitor é uma incógnita. Na eleição de outubro próximo, procurará se esconder mais que em campanhas anteriores. Está desconfiado e crítico. De costas para as velhas promessas. Não quer comprar gato por lebre. Decide com racionalidade, sem esquecer a indignação. Tentar desvendar o que se passa em sua mente – eis o maior desafio dos candidatos."
Portanto Deri, time que está ganhando não se mexe, siga sua campanha de corpo a corpo com o eleitor, esqueça da candidata imaginária, esqueça de debate que não leva a nada, principalmente de rádios que sobrevivem as custas de prefeitura,  deixe que seus advogados resolvam a batalha judicial.
Já para vereador apoio Neto, que teve coragem de mesmo só, passar para o povo todos os desmandos praticados pelo (des)governo Anabel, inclusive o rombo do hospital, cuja consequência até hoje morre gente por falta de uma assistência condigna,  ou então, vivos devolvidos ao familiares como se morto estivesse.