Família Montalvao

Família Montalvao

sábado, setembro 17, 2016

A IGNORÂNCIA E A MANIPULAÇÃO DAS MASSAS - Qualquer semelhança com os politiqueiros de Jeremoabo, poderá até ser mera COINCIDÊNCIA....

Resultado de imagem para foto candidato impugnado

Nota deste Blog - Esta matéria é um pouco longa mas merece ser lida por todos, é um retrato em preto em branco do que vem acontecendo na politicagem de Jeremoabo.

Boa leitura e boa reflexão.

A IGNORÂNCIA E A MANIPULAÇÃO DAS MASSAS





“Bom mesmo é um povo sem conhecimento, burro e jogado à própria sorte, fácil de ser manipulado como marionetes. Bom mesmo são pessoas que não conhecem seus direitos, que andam pelos caminhos tortuosos da mais pura e desolada ignorância, gente sem educação, gente que nunca aprende e esquece rápido o que aconteceu. Como é bom ter gente assim pra ser manipulada com mentiras, pra ser comprada, enganada e surrada pela indecência dos atos mais vis e soberbos da corrupção”.
Esse é um pensamento preconceituoso e de péssimo gosto, um pensamento que foge com a ética, inclinado ao aviltamento das pessoas, como se elas não tivessem dignidade e fossem simplesmente animais irracionais sem vontades, sem necessidades, e que entretanto, estão abandonadas ao pior infortúnio e ao pior destino que seja.
Ao começar o artigo com palavras tão duras, sórdidas e detestáveis pela sociedade, busco levar aos cidadãos uma reflexão em torno da massacrante situação política e social que desenvolve mecanismos de manipulação das massas, com a autêntica intenção de servir-se dos sortilégios mais sutis para lograr o povo em busca de uma aceitação com respaldos democráticos e sociais da maioria.
O enunciado acima é a cicatriz presente nos pensamentos dos governos corruptos, martelando como uma ferida aberta; é o bordão dissimulado nos discursos, e também oculto na memória de homens que preferem escravizar pessoas por meio das atitudes falaciosas e dos comportamentos inglórios. Por que os modelos de governos corruptos não desejam o investimento em educação neste país, numa educação que rompa com os muros da escravidão intelectual ou com a falta da consciência moral que tantos precisam para suas vidas, para o desenvolvimento humano em todos os campos de sua capacidade criativa e produtiva? Por que ainda não se pensam em homens amigos da sabedoria e livres da arrogância, ganância, corrupção e ignorância?
Simplesmente por que um povo que pensa e tem um espírito autônomo e liberto, que consegue compreender o contexto social que o envolve não é o objetivo de um Estado corrupto, que recorre aos meios mais sórdidos e viciosos quando se trata de coagir e dominar. Eles querem manter as pessoas cegas num jogo arbitrário, onde o cidadão nunca vence. No paradigma político que se segue, não se prioriza um povo esclarecido e politizado, isso não seria bom, pois custaria um preço muito alto para aqueles que malversam o patrimônio público.
Num sistema político onde ainda sobrevive o coronelismo,camuflado no comando dos currais eleitorais, será muito difícil querer uma sociedade formada por pessoas politizadas, e que compreendam que seu papel na sociedade vai além de barganhar favores vendendo sua liberdade nas escolhas e nas reivindicações sociais.
Tudo o que a corrupção mais deseja é uma sociedade composta de pessoas inertes às causas políticas, e que emudece para suas aflições, num consentimento coletivo para todos os danos que possam acontecer, sem jamais demonstrar insatisfação ou indícios de descontentamento e indignação. Tudo o que os agentes corruptores à frente da máquina pública conspiram, só deve favorecer um lado da moeda, ou seja, suas ambições e aspirações, suprimindo qualquer exigência do povo, descartando qualquer necessidade social. O que se pretende com isso é uma sociedade alheia à competência e capacidade de liberdade, desse modo, é muito mais fácil redigir discursos com o objetivo de sobrepujar as lástimas que afetam a camada social que reside à beira da exclusão e do esquecimento.  
A história mostra claramente as marcas dos governos déspotas(tiranos) e o que eles querem de melhor (ironizando a palavra) para a sociedade; querem um povo ignorante, e fazem de tudo pra manter um povo assim, porque uma sociedade sem conhecimento afeta os pilares do desenvolvimento e uma sociedade composta por seres humanos cuja ausência da capacidade de pensar criticamente e de enxergar além do óbvio e das aparências torna-se uma semente incubada e impedida de crescer; um povo cujas raízes ficam impossibilitadas de alcançar o solo e podadas da sua capacidade de germinar e frutificar.
Uma sociedade que faz silêncio e que anda por veredas duvidosas apontadas por políticos sem escrúpulos, com a intenção de simplesmente enganar e mascarar seus atos cruéis de descaso social é a pior de todas as sociedades, porque é omissa e se torna cúmplice da injustiça que sofre. E o pior de tudo é que isso acontece às faces do povo sem o menor pudor ou discrição.  
Como fazer mudança social e política numa sociedade que ainda defende aqueles que a engana, e muitos engolem o orgulho ferido com receio de pronunciar uma palavra de revolta?
É triste e a mais pura verdade quando se diz que ainda convive-se com um povo cru de postura intelectual e submerso na ignorância, destituído de qualquer caráter crítico e senso reflexivo. Isso é tudo que os deletérios (corruptores) mais querem, exercendo de modo indecente o jogo da manipulação das massas. Agora questiono: é o fado e o futuro do povo suportar sempre a opressão impelida por interesses particulares, como se não houvesse outra saída, como se fosse incapaz de se organizar politicamente e servisse apenas para ser explorado, iludido e dominado?  
Se ainda estamos adormecidos é preciso acordar urgentemente; se ainda estamos acorrentados aos grilhões da dominação, então é preciso quebrar as correntes e insuflar a liberdade; e, se ainda estamos anestesiados, é uma situação no mínimo preocupante, porque as dores há muito tempo latejam e muitos fingem não sentir.   
                     Francisco Balbino Sousa
    Educador