Família Montalvao

Família Montalvao

sexta-feira, julho 29, 2016

Acordo espúrio entre Janot e Sérgio Machado precisa ser anulado pelo Supremo

Zavascki e Janot foram enganados por Machado
Carlos Newton

De volta a 1964, em matéria de maldades contra os trabalhadores

Charge do Bira, reprodução do Arquivo Google
Carlos Chagas

Lula errou ao recorrer à ONU para tentar escapar do juiz Sérgio Moro

Lula aparece assim na matéria do “The Telegraph”
João Amaury Belem

Meirelles vai a Temer para ganhar ainda mais espaço no comando da economia

Meirelles já se tornou uma espécie de czar da economia
Pedro do Coutto

Juiz Sergio Moro diz que projeto que pune abuso de autoridade é “preocupante”

Moro aponta os equívocos no projeto de Renan Calheiros
Estelita Hass Carazzai
Folha

Procurador que denunciou Trabuco explica como o Bradesco corrompia o Carf

Procurador Paiva assinala que Trabuco “não é ingênuo”
Gabriel Mascarenhas
Folha

Estamos de volta, desculpem a nossa falha (do servidor UOL)

Reprodução do Arquivo Google
Carlos Newton

Filho de Sérgio Machado investiu R$ 90 milhões em imóveis na Inglaterra

Expedito nunca trabalhou, ficou rico e está solto
Deu na Folha

Perícia mostra que Lula e dona Marisa orientaram as obras no sítio de Atibaia

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)
Flávio Ferreira e Bela Megale
Folha

Lava Jato apura propinas em contrato de informática de R$ 53 milhões do BB

Charge do Benett, reprodução da Folha
Ricardo Brandt, Julia Affonso e Fausto Macedo
Estadão 

Novo processo penal exibe a derrocada do ex-ministro Henrique Eduardo Alves

Henrique Eduardo Alves é acusado de enriquecimento ilícito
Deu na Folha


O vexame internacional vai ter um custo alto
oantagonista.com
 
Dilma 171.
A coluna do Estadão, de Andreza Matais, informa que "as alegações finais da presidente Dilma Rousseff foram protocoladas ontem no Senado com a numeração DOC 171, mesmo número do Código Penal que trata de estelionato. Os documentos seguem ordem de chegada".
oantagonista.com

ConJur compartilhou um link.
Reajustes salariais para o funcionalismo público em ano eleitoral são lícitos, desde que sirvam exclusivamente para compensar a inflação do período. A tese…
www.conjur.com.br
 
Diário do Poder compartilhou um link.
·
diariodopoder.com.br